BACTERICIDA INORGÂNICO
PARA USO EM
MATERIAIS PLÁSTICOS

Gedeon H. Nobre e N. Yokoya

 INTRODUÇÃO

    Cada vez mais a sociedade procura condições de vida onde predominem segurança, conforto e higiene.
   A contaminação das águas, ar e produtos diversos por microorganismos, entre as quais, as bactérias, está se tornando um quesito de forte questionamento político e social.
    Para refrear este processo de contaminação ambiental alguns procedimentos e critérios estão sendo tomados.
    O lançamento de artigos plásticos contendo substâncias fungicidas e/ou bactericidas encontram-se dentro deste contexto.
    Não é novidade a impregnação de artigos têxteis e tintas, com substâncias fungicidas orgânicas, de modo a tornar tais produtos resistentes à proliferação destes microorganismos.
    Também não é novidade a dificuldade de aceitação de tais artigos pela população, devido alguns efeitos colaterais acarretados por determinados produtos, principalmente os produtos orgânicos fungicidas; exemplo típico das alergias na pele.
    Em contrapartida às substâncias orgânicas, existem determinados elementos inorgânicos que, livres ou combinados, apresentam efeitos bactericidas e fungicidas acentuados.
    Por apresentar uma tendência à estabilidade perante à água, ar, luz, processamentos físico-químicos, etc., os elementos e sais inorgânicos, de ação bactericida, voltaram a ser fonte de estudos e pesquisas, de maneira a torná-los adequados às aplicações industriais diversas.
    Dentro desta linha tecnológica, nestes últimos anos foram lançados no mercado alguns produtos bactericidas inorgânicos de alta performance, segurança e baixa toxidade ao ser humano.
    Convencionalmente, estes produtos bactericidas possuem um agente conversor de íon inorgânico, representado por zeolita ou sílica-alumina, óxido de titânio, sulfato duplo de cálcio, com outros elementos que possuem forte ação bactericida, tais como, prata, zinco, cobre, principalmente os dois primeiros.
    Estes ions metálicos de ação bactericida acham-se fortemente aderidos aos "suportes" inorgânicos, de forma que a eliminação do agente bactericida no meio torna-se gradual, constante e duradoura.
    Em testes já realizados comprovou-se a eficácia da ação  antisséptica de tais compostos bactericidas, que apresentaram rápida e forte ação, e mantiveram a atuação por longos períodos de tempo.
    Testes complementares provaram também que tais produtos bactericidas são considerados não-tóxicos ao ser humano e não ameaçam o meio ambiente.
    São produtos patenteados no Japão, Estados Unidos, Alemanha, França, Austrália, entre outros países.

 MECANISMOS DA AÇÃO BACTERICIDA

    São diversos os processos para barrar o crescimento e desenvolvimento bacteriano.
    No caso do bactericida inorgânico, experimentos científicos comprovaram que este apresenta capacidade de aniquilar a bactéria, impedindo sua proliferação através da assepsia de efeito oligo-dinâmico do íon prata, sem prejuízo ao ser humano.
    De longa data, já era conhecida a ação "anti-limo" de alguns ions metálicos, entre os quais, prata, cobre, etc.
    Em 1929, na Alemanha, o Dr. G. Krausel conseguiu tornar prático o uso destes ions metálicos para ação bactericida.
    Entre as aplicações atuais da ação bactericida de determinados ions metálicos é a cerâmica impregnada de prata no esmalte, durante sua vitrificação a alta temperatura, ou a aderência térmica de sais de prata no carvão ativado, ou em cerâmica porosa utilizados em tratamento de água.
    É importante salientar que estes produtos atuam por meio da ionização dos compostos metálicos bactericidas, evitando que os metais puros sejam liberados no meio ambiente, de maneira a não prejudicar o ser humano.
    Os íons prata atuam fortemente apenas para a destruição dos micróbios.
    Pode-se considerar como "micróbios" as bactérias, fungos e vírus, e num sentido mais amplo, os protozoários e algas.
    Os íons de prata, em baixas dosagens , atuam na atividade celular pela ação oligo-dinâmica:

R-S-H + Ag+ => R-S-Ag + H+

    Sendo que o radical S-Ag influi na multiplicação bacteriana de forma constante e permanente.
    Dependendo da quantidade dos ions de prata, da condição do meio onde está aplicado, e dos tipos de colônias de microorganismos, pode-se fazer o produto bactericida atuar não só na eliminação microbiana, mas na manutenção de uma atividade de "hibernação" destas colônias, vedando suas atividades proliferativas.

  Numa micro-visão da ação bactericida temos dois tipos de ações:

    O fato de eliminar ou evitar a proliferação bacteriana faz com que tais produtos bactericidas sejam recomendados para utilização em diversos materiais, de maneira a fazer com que estes materiais não sejam fontes ou veículos para transmissão de doenças e infecções diversas. 
     Os artigos plásticos por estarem em contato direto com o ser humano, sejam  através de armazenamento de alimentos, embalagens para cosméticos, bebidas, etc., sejam através de artigos de cozinha, mesa e banho, tais como, escorredores de pratos e talheres, pratos, tigelas, copos, placas para corte de alimentos, esponjas plásticas, porta objetos, banheiras, etc., sejam para lancheiras infantis, garrafas, escovas, arigos sanitários e de  higiene; tubulações para água, bebidas, óleos e lubrificantes, etc., são extremamente indicados a receberem este tratamento bactericida. 
     A utilização em forrações, cortinas, tapetes, carpetes, etc., também é recomendada.  O uso de plásticos bactericidas em materiais para hospitais, hotéis, motéis, escolas, restaurantes, começam a ser motivo de estudos para projetos de lei em alguns países.

SISTEMA DE APLICAÇÃO EM PLÁSTICOS

Os produtos bactericidas podem ser aplicados a diversos tipos de materiais plásticos, dependendo de sua origem polimérica:

  1. Policloreto de Vinila

  2. Poliuretano

  3. Polietileno

  4. Polipropileno

  5. Policarbonato

  6. Poliamida, etc.

    Os produtos bactericidas podem ser encontrados também em diversas formas, líquidos ou sólidos, solúveis ou dispersos, pós ou grânulos, "master batch" combinados com resinas específicas e combinados com diversos substratos, para aplicações em filmes, placas, tubos, "pelets", fios, fibras, etc., em função de determinados objetivos que se pretendam alcançar, entre os quais:

a) mínimo acréscimo no índice de amarelecimento;

b) possibilidade de extrusão, injeção, moldagem, etc.;

c) aplicaçao em processos de baixa espessura ou mínimos diâmetros (milimicrons);

d) alto poder de resistência à lavagem com água e lavagem química (ex.: cloro, detergentes, solventes, etc.) para materiais que frequentemente passam por estes procedimentos;

e) possibilidade de adição em conjunto com outros componentes, tais como, pigmentos, cargas, retardantes de chama, etc.

    A aplicação dos  bactericidas nos processos   de produção de plásticos podem ser realizados de algumas formas básicas:

  1. Através de mistura homogênea com as matérias primas componentes do material plásticol antes de sua extrusão, injeção ou moldagem;

  2. Por aspersão ou pintura sobre o substrato plástico (filmes, placas ou materiais moldados), normalmente com aditivação de um fixador;

  3. Através de banho ou imersão do substrato plástico em solução que contém o bactericida;

 ESPÉCIES DE MICROORGANISMOS

     Várias espécies de microorganismos sofrem a ação dos ions metálicos da prata, zinco ou cobre.

     Na tabela anexa pode-se observar a ação de produto bactericida sobre um meio de cultura onde previamente adicionou-se quantidade pré-determinada de alguns microorganismos. 

Microorganismos

Presença de

Quantidade de

Microorganismos

Vivos

(nome)

Bactericida

Início

(0 horas)

Após

6 horas

Após

24 horas

Escherichia coli

Sim

1.5 x 105

< 10

< 10

"

Não

1.5 x 105

1.9 x 105

1.6 x 104

Pseudomonas cerugin.

Sim

5.5 x 104

< 10

< 10

"

Não

5.5 x 104

2.5 x 104

1.3 x 104

Salmonella enteric.

Sim

3.3 x 105

< 10

< 10

"

Não

3.3 x 105

2.0 x 105

1.2 x 105

Staphylococcus aure.

Sim

4.9 x 105

< 10

< 10

"

Não

4.9 x 105

4.0 x 105

1.2 x 105

Asperugillus niger

Sim

3.3 x 104

3.3 x 102

20

"

Não

3.3 x 104

4.9 x 104

2.7 x 104

Clodosporium clodosp.

Sim

1.0 x 106

< 10

< 10

"

Não

1.0 x 106

8.1 x 105

3.7 x 105

USOS DE PLÁSTICOS COM BACTERICIDAS

     Os materiais plásticos contendo produtos bactericidas inorgânicos, em conjunto com certos aditivos, apresentam características especiais recomendadas para determinadas aplicações.
    Entre alguns dos aditivos, pode-se citar:

    Dentre algumas das aplicações especiais que estes produtos bactericidas com aditivos acarretam, pode-se citar: 

  1. Redução na hidro-afinidade, utilizados em artigos esportivos, coberturas, forrações, materiais técnicos, etc.

  2. Resistência à absorção de luz ultravioleta (UV), utilizados em embalagens, coberturas, etc.

  3. Redução em odor, gerado pela proliferação de algas e fungos.

  4. Redução na aderência de gorduras, sujeiras em geral, facilitando a lavagem.

REPRESENTAÇÃO E FORNECIMENTO

     A Real Trade Comércio, Importação e Exportação Ltda. possui representação, fabricação e fornecimento de produtos bactericidas, além de tecnologia de aplicação para diversos tipos de materiais.